dezembro 20, 2007

flocos de neve

Afinal optei pela versão simplificada do que tinha imaginado para a árvore de natal deste ano. Os planos de revestir o galho com tecidos terão de aguardar por natais futuros.


Os "flocos de neve" são paninhos de croché engomados como se fazia antigamente, com água e farinha, para ganharem consistência. Comprei-os por uma ninharia numa feira de velharias. Inventei uma história para eles:

A Menina Deolinda começou a fazer o enxoval aos catorze anos. Aprendeu a bordar e a fazer croché com a Tia Alzira, solteirona de ouvido tísico e vista apurada. Bordou duas dúzias de lençóis, quatro toalhas de mesa, vários conjuntos de naperons. A colcha e a toalha de mesa para as datas especiais fê-las em croché. Com oito paninhos redondos em croché fino deu por terminado o enxoval e declarou-se pronta para casar. Apareceram vários pretendentes, mas o escolhido foi o José, jovem e promissor funcionário da CP. Mudaram-se para a estação dos caminhos-de-ferro de Caxarias e a Senhora Deolinda viu a vida passar à velocidade que via passar os comboios sob as suas janelas. Vieram os filhos, cresceram os filhos, partiram os filhos para longe. O enxoval nunca abandonou o fundo da arca. As ocasiões especiais nunca foram suficientemente especiais. As visitas dos filhos foram sendo cada vez mais espaçadas.
O tempo passa. O Senhor José reforma-se e morre passados poucos anos. A Senhora Deolinda segue-o pouco tempo depois. Os filhos voltam à casa onde cresceram, mas que poucas recordações lhes traz, e decidem vender tudo.
Os oito paninhos redondos vivem agora na minha árvore de natal. As outras coisas não sei.

3 comentários:

  1. Gosto da tua árvore de Natal. É tão diferente e original! E gostei da história :)

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana!
    Gostei da tua árvore! No ano passado ganhei uns enfeites de Natal feitos de crochê e no formato de flocos de neve...Muito bonitos! Tua idéia me fez lembrar esses enfeites. Vou ver se tiro uma foto e te mando.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Fico contente que tenham gostado da minha árvore! Quando a desmanchar, vai passar a viver no terraço.

    ResponderEliminar